O sexo na terceira idade ainda é um tema pouco abordado e visto por muitos como um grande tabu da sociedade. Contudo, a sexualidade do idoso não pode ser ignorada. Amar e ter uma vida sexual ativa nessa fase da vida traz diversos benefícios e deve ser explorada.

Muitas pessoas acreditam que o sexo na terceira idade é muito mais um mito do que a realidade, inclusive idosos. Pela diminuição da libido, que é normal que ocorra com o tempo, e as mudanças na saúde física, esse é um tema que vai sendo deixado de lado. A dificuldade para conversar sobre também se torna mais um agravante. Mas não precisa ser!

Benefícios de uma vida sexual ativa

Manter a vida sexual ativa nessa fase traz diversos benefícios aos idosos. Ela contribui para o autocuidado, a autonomia, a criatividade e a autoestima. Além disso, também equilibra o sistema neuroendócrino e melhora a qualidade de vida de forma geral.

Essa melhora ocorre porque o sexo pode ser visto como um tipo de exercício cardiovascular. É o que aponta uma pesquisa da universidade de Tufts, nos Estados Unidos. Se praticado regularmente, ele ajuda a prevenir doenças do coração e atenua os sintomas da menopausa.

Lidar com a própria sexualidade permitirá ainda que o idoso tenha como benefícios pessoais a manutenção de uma consciência corporal e um convívio social constante, diminuindo a sensação de estar sozinho(a) e melhorando o prazer sexual.

O sexo na terceira idade e a felicidade do idoso

Outro fator que chama atenção com relação ao sexo na terceira idade, é que, de acordo com pesquisa apresentada no Encontro Anual da Sociedade Americana de Gerontologia, idosos com a vida sexual ativa são mais felizes e realizados dentro do casamento.

Segundo a pesquisa, 60% dos idosos acima de 65 entrevistados, que faziam sexo mais de uma vez ao mês, se consideravam mais felizes. Já os outros 40%, que não transaram nos últimos 12 meses, não tinham a mesma percepção.

Com isso, uma vida sexual ativa e saudável permite que o idoso consiga lidar melhor com algumas áreas da vida dele, como a do casamento e a afetiva, que reaparece com envolvimentos românticos ou no sexo casual.

Leia também: Vamos falar sobre namoro na terceira idade?

5 verdades sobre o sexo na terceira idade

Sexo faz muito bem, é verdade, e faz parte da vida de todos, inclusive dos idosos, como explicamos aqui. Entretanto, a temática também vem acompanhada de algumas verdades, que por mais que tentemos negar, existem e devem ser conhecidas.

Descubra 5 delas:

1 – As mudanças ocorrem

O processo de envelhecimento promove muitas mudanças no corpo e na capacidade física da terceira idade. Esses fatores costumam gerar vergonha ou medo, os impedindo de tentar o sexo ou simplesmente desistindo de ter uma vida sexual ativa.

Porém, essas são alterações comuns a essa fase da vida e, mesmo que ocorram, não precisam ser empecilhos para o sexo na terceira idade. É válido lembrar que elas não necessariamente atrapalham o ato, que pode ocorrer tranquilamente, com algumas adaptações.

Conheça algumas dessas mudanças:

Nos homens:


Nas mulheres:

2 – Se adaptar faz parte

Como dito acima, a terceira idade é uma fase de mudanças, que apesar de não impedirem o ato sexual, acabam fazendo com que o idoso se adapte para que ele ocorra com tranquilidade. Nesses momentos, a criatividade deve entrar em cena para obter o prazer sexual.

Para tal, é válido investir nas preliminares, com massagens mútuas, toques e brinquedinhos. Outra opção para melhorar o ato sexual está na utilização de posições diferentes, sexo oral, masturbação, entre outros. Assim, ambos conseguirão aproveitar o momento com prazer.

3 – A sexualidade do idoso não envolve apenas o ato sexual

É comum que foquemos no ato sexual, contudo, a sexualidade do idoso vai muito além disso. Ela envolve momentos como o toque, o cheiro, o beijo e até mesmo o flerte. Como isso, é perfeitamente possível para eles vivenciarem todo esse universo como parte da vida.

Dessa maneira, é importante que o idoso desenvolva todas essas possibilidades, não se prendendo apenas ao ato sexual em si.

4 – A prevenção é essencial

O sexo na terceira idade não é diferente dos demais e também requer o uso de camisinha. Esse assunto costuma ser cercado de preconceito e temor para muitas pessoas nessa idade. Contudo, o sexo seguro impede a propagação de infecções sexualmente transmissíveis (ISTs) como o HIV, vírus da imunodeficiencia adquirida, por exemplo.

Aliás, é justamente pela falta de uso do preservativo nas relações sexuais que houve um aumento no número dessas infecções em idosos. De acordo com dados do Ministério da Saúde, em 2018 o número de pessoas acima de 60 anos com HIV teve um aumento de 81% entre 2006 e 2017.

5 – Consultar um médico é o primeiro passo

Por vergonha ou dificuldade de conversar sobre a própria sexualidade com alguém, é comum que os idosos tenham dúvidas e dificuldades. Com isso, para que o sexo na terceira idade seja uma experiência prazerosa, buscar por um médico ou especialista na área deve ser o primeiro passo.

É por meio das consultas médicas que o idoso poderá tirar dúvidas, checar se a saúde sexual está em dia e solucionar problemas que possam atrapalhar o ato.

A MedSênior está aqui para te ajudar!

Nós, da MedSênior, entendemos que algumas questões da Geração+ merecem ser acompanhadas de perto. Focado em medicina preventiva e acolhimento, o nosso plano conta com médicos que estão à disposição para te atender e tirar dúvidas sobre o sexo na terceira idade. Saiba mais!

Acompanhe o blog da MedSênior
Nosso blog está repleto de conteúdos voltados para a saúde e o bem-estar da pessoa na terceira idade. Conheça outros posts do blog da MedSênior que podem te interessar clicando aqui.

Geração+ informada